Posts tagged pensamentos

Mês triste para a literatura nacional

Neste mês de julho perdemos lamentavelmente três grandes escritores brasileiros:  João Ubaldo Ribeiro, Rubem Alves e Ariano Suassuna.

Os três, com estilos diferentes, se destacaram no cenário nacional com obras importantes e muita sabedoria. A perda é enorme. Felizmente temos as palavras destes notáveis homens que permanecerão para sempre.

Abaixo um trecho de cada um deles como nosso agradecimento para tanta beleza:

 

AQUI MORAVA UM REI

 suassuna

Aqui morava um Rei quando eu menino

Vestia ouro e castanho no gibão

Pedra da sorte sobre o meu destino

Pulsava junto ao meu seu coração

 

Para mim, seu cantar era divino

Quando ao som da viola e do bordão

Cantava com voz rouca o desatino

O sangue o riso e as mortes do sertão

 

Mas mataram meu pai, desde esse dia

Eu me vi como um cego sem meu guia

Que se foi para o sol, transfigurado

 

Sua Efígie me queima, eu sou a presa

Ele a brasa que impele ao fogo, acesa,

Espada de ouro em Pasto Ensanguentado.

(Ariano Suassuna – 1927-2014)

—/—

ubaldo

Se não entendo tudo, devo ficar contente com o que entendo. E entendo que vejo estas árvores e que tenho direito a minha língua e que posso olhar nos olhos dos estranhos e dizer: não me desculpe por não gostar do que você gosta; não me olhe de cima para baixo; não me envergonhe de minha fala; não diga que minha fala é melhor do que a sua; não diga que eu sou bonito, porque sua mulher nunca ia ter casado comigo; não seja bom comigo, não me faça favor; seja homem, filho da puta, e reconheça que não deve comer o que eu não como, em vez de me falar concordâncias e me passar a mão pela cabeça; assim poderei matar você melhor, como você me mata há tantos anos.(Vila Real)

(José Ubaldo Ribeiro –  1941/2014)

—/—

alves

Minha filosofia pode ser resumida em duas frases latinas: “Tempus Fugit”: o tempo foge, passa, tudo é espuma… E “Carpe Diem”: colha cada dia como um fruto saboroso que cresce na parede do abismo. Colha hoje porque amanhã estará podre.

Sonho em ter tempo para aprender a vagabundear.

(Rubem Alves – 1933-2014)

Karina

Anúncios

Comments (1) »

Frase da Semana

“Mas há a vida que é para ser intensamente vivida, há o amor. Que tem que ser vivido até a última gota.

Sem nenhum medo. Não mata.”

(Clarice Lispector)

Karina

Comments (1) »

Sobre o Riso

Abaixo, selecionamos alguns pensamentos sábios a respeito do riso. E você, nobre leitor, como definiria essa expressão do sentimento humano?

1158074_paper_emotions_-_laughter

Nada melhor do que ver as coisas de que se riem os homens, para lhes aquilatar o caráter.” (Goethe)


“Quando os homens riem às gargalhadas, superam todos os outros animais em vulgaridade.” (Nietzsche)


“Neste mundo, fala-se muito levianamente do riso, que, para mim, é uma das mais sérias questões humanas.” (W. Raabe)


“É merecedor do paraíso quem faz rir os companheiros.” (Maomé)


“Quase nunca rimos de nós próprios. Contudo, raro é o dia em que não fazemos coisa digna de provocar o riso. Outros, mais sinceros, riem de nós, e nós não lhe perdoamos tamanha sinceridade.” (Vargas Vila)


“Ri, ri, que o riso é próprio do homem.” (Jean Racine)


“Que haverá de mais vil do que ser objeto de riso?” (Cícero)


“Quem ri de si próprio não se torna objeto de riso.” (Sêneca)


“Ri-te, ri-te, que o mundo

não se pode levar de outra maneira.” (Visconde de Almeida Garret)


“O riso é a mais útil forma de crítica, porque é a mais acessível à multidão.” (Eça de Queirós)

Telma

Comments (2) »

Da Saudade

Hoje falaremos de um sentimento muito difícil de ser definido: a saudade. Difícil explicar em que consiste, mas quando sentimos saudade, logo identificamos. Mas é apenas a nossa belíssima língua portuguesa que traduz o sentimento de saudade em palavra.

A seguir, trazemos alguns pensamentos e versos sobre esse sentimento, advindos de diversos autores. E o nobre leitor, como conceituaria a saudade?

266168217_c59c1b49d3

“Tudo aumenta, quando visto através da saudade.” (Guiherme de Almeida)


“Saudade: presença dos ausentes.” (Olavo Bilac)


“Quem traz à saudade a alma rendida,

a saudade busca, onde descansa:

mas o descanso dela encurta a vida.” (Luiz Vaz de Camões)


“Quem sofre o mal da saudade,

não acha alívio um momento,

pois tem perto a enfermidade

e longe o medicamento.” (Afonso Celso)


“A casa da Saudade chama-se Memória: é uma cabana pequenina a um canto do coração.” (Coelho Neto)


“Saudade, ó bela flor, quando te faltem

coração ou jardim onde tu cresças,

vem, vem ter comigo.

Deixa os que não te seguem,

terás em peito amigo

lágrimas que te reguem,

espaço em que floresças.” (Gonçalves Dias)


“O perfume da saudade é como o de certas flores que só se percebe, quando de longe o recebemos. Se, iludidos, o tentamos aspirar de perto, dissipa-se.” (Júlio Dinis)


“A palavra saudade é porventura o mais doce, expressivo e delicado termo de nossa língua. A idéia, ou sentimento por ele representado, certo que em todos os países o sentem: mas que haja vocábulo especial para o designar, não o sei de outra nenhuma linguagem senão da portuguesa.” (Almeida Garret)


“A saudade é como o sol do inverno: ilumina sem aquecer.” (Berilo Neves)


“Eis a saudade: mal que é bem, dor que não dói, tristeza que sorri dentro de nós.” (Braz Florenzano Netto)

Telma

Comments (2) »

Definição perfeita para a angústia

Clarice Lispector foi uma pensadora maravilhosa e descrevia  sentimentos e situações do cotidiano de uma maneira singular. Sempre é interessante ler o que Clarice pensava a respeito das coisas.

Abaixo, segue a visão da escritora acerca da terrível sensação de angústia. Impressionante!

778761_heart

ANGINA PECTORIS DA ALMA

Só que dessa não se morre. Mas tudo, menos a angústia, não? Quando o mal vem, o peito se torna estreito, e aquele reconhecível cheiro de poeira molhada naquela coisa que antes se chamava alma e agora é chamada nada. E a falta de esperança na esperança. E conformar-se sem se resignar. Não se confessar a si próprio porque nem se tem mais o quê. Ou se tem e não se pode porque as palavras não viriam. Não ser o que realmente se é,  e não se sabe o que realmente se é, só se sabe que não se está sendo. E então vem o desamparo de estar vivo. estou falando da angústia mesmo, do mal. Porque alguma angústia faz parte: o que é vivo, por ser vivo, se contrai.

Telma

Leave a comment »

Frase da semana (23/08 a 29/08)

A partir de hoje, toda  sexta-feira será dia de uma frase especial aqui no blog. Procuraremos homenagear os mais diversos autores, assuntos e estilos. Esperamos que o nobre leitor aproveite. Aceitamos sugestões de frases interessantes também. As melhores serão oportunamente publicadas.

Telma

3329343775_18b5b552db

“O destino é apenas o acaso com mania de grandeza.” (Mário Quintana)

Comments (2) »

Pensando sobre poesia

515110_stockin_around_rose

Sempre postamos poesias as mais variadas no blog, afinal esta é uma das expressões mais sublimes da literatura, seja lírica, dramática ou épica, a depender do sentimento sobre o qual o poeta pretende falar. Em verdade, a poesia é a arte em palavras.

Abaixo, seguem algumas reflexões acerca de poetas e poesias:

“Se a poesia não existisse, a vida não passaria de uma ferida sempre em sangue. É a poesia que nos dá o que a natureza nos nega: uma idade de ouro que não envelhece, uma primavera que não murcha, uma ventura sem nuvens e uma juventude eterna.” (L. Boerne)

“Nos poetas sonha a humanidade.” (Friedrich Hebbel)

“Há imagens nos poemas e poemas nas imagens.” (Provérbio Chinês)

“Fazer-se poeta é enfermidade incurável e contagiosa.” (Miguel de Cervantes)

“A poesia tem uma única fonte: o sentimento profundo daquilo que não se pode exprimir.” (L.Arréat)

“A poesia é uma pintura que se move e uma música que pensa.” (E. Deschamps)

“A indignação faz versos.” (Juvenal)

“A poesia não tem presente: ou é esperança ou saudade.” (Camilo Castelo Branco)

“Não é retórica a poesia, nem eloquência. É dor. Dor, estilizada, dor de amor, dor de saudades, dor de esperanças, dor de ilusões murchas, dor de anseios vagos, dor da impotência, dor do inexprimível.” (Monteiro Lobato)

Telma

Comments (9) »

Reflexão sobre a brevidade da vida

Trazemos aos leitores do blog fragmentos extraídos do tratado “Sobre a brevidade da vida”, escrito pelo filósofo Sêneca e com tradução de Lúcia Sá Rebello. Ellen Itanajara Neves Vranas e Gabriel Nocchi Macedo.
Lúcio Anneo Sêneca nasceu em Córdoba- Espanha, em meados de 4 a.C., mas foi educado em Roma, onde estudou retórica e filosofia.
Foi filósofo,advogado, escritor, dramaturgo e político, tendo se tornado uma das figuras mais célebres da época.
Sêneca morreu no ano de 65 d.C., nos deixando um legado de ideias inspiradoras e sábias.

Vejam:
drop
“Não temos exatamente uma vida curta, mas desperdiçamos uma grande parte dela. A vida, se bem empregada, é suficientemente longa e nos foi dada com muita generosidade para a realização de importantes tarefas.
(…)
Nenhum homem sábio deixará de se espantar com a cegueira do espírito humano.
(…)
Observa os que a sorte abençoou: eles se sentem sufocados pelos seus bens. As riquezas são pesadas para muitos! A preocupação com a eloquência e a necessidade de mostrar talento tirou o sangue de muitos! Outros enfraqueceram devido a uma vida de libertinagens!
(…)
a insaciável ganância domina um; outro, desperdiça sua energia em trabalhos supérfluos; um encharca-se de vinho, outro fica entorpecido pela inércia; um está sempre preocupado com a opinião alheia, outro por um irreprimido desejo de comerciar, é levado a explorar terras e mares na esprença de obter lucro. O desejo de guerrear tortura alguns, que não se mostram apreensivos em relação aos perigos alheios ou ansiosos aos seus próprios; há aqueles que, voluntariamente, se sujeitam à ingrata adulação dos superiores. Também há os que se ocupam invejando o destino alheio e desprezando o seu próprio.
(…)
Quantos não esbanjaram a tua vida sem que notasses o que estava perdendo? O quanto de tua existência não foi retirado pelos sofrimentos sem necessidade, tolos contentamentos, paixões ávidas, conversas inúteis, e quão pouco te restou do que era teu?
(…)
Ninguém valoriza o tempo, faz-se uso dele muito largamente como se fosse gratuito. Porém, quando doentes, se estão próximos da morte, jogam-se aos pés dos médicos.
(…)
Se pudéssemos apresentar a cada um a conta dos anos futuros, da mesma forma que se faz com os que já passaram, como temeriam aqueles que vissem restar-lhes poucos anos e como os economizariam!
(…)
A expectativa é o maior impedimento para viver: Leva-nos para o amanhã e faz com que se perca o presente.
(…)
Ninguém te devolverá aquele tempo, ninguém te fará voltar a flecha a ti próprio. Uma vez lançada, a vida segue o seu curso e não o reverterá nem o interromperá, não o elevará, não te avisará de sua velocidade, transcorrerá silenciosamente.”

Karina

Leave a comment »

Acerca da Felicidade

741673_lonely_at_the_beach

Como já proposto em post anterior, vez por outra publicaremos pensamentos e frases sábias anônimas ou de autores do mundo todo sobre determinado assunto. Hoje trataremos do tema felicidade, do ponto de vista de inúmeros escritores. Saboreiem!

Só é feliz e grande quem, para chegar a ser alguma coisa, não precisa mandar nem obedecer.” (Johann W. Goethe)

Eis os três segredos da felicidade: não ver o mal, não ouvir o mal, não fazer o mal.” (Anônimo)

A verdadeira felicidade consiste em nos vermos formosos no espelho da nossa consciência.” (Isaac Nuñes Arenas)

A verdadeira felicidade custa pouco; quando é cara, não é de boa qualidade.” (Chateaubriand)

A felicidade não é outra coisa senão a divisão de um prazer com outrem.” (Jean Dolent)

A vida nos ensina que somente somos felizes à custa de alguma ignorância.” (Anatole France)

Raras vezes está ausente a felicidade. Nós é que lhe não notamos a presença.” (Maurice Maeterlinck)

Não há felicidade onde não há paz, e paz só há onde está Deus.” (Jean Baptiste Massillon)

A felicidade consiste principalmente em nos resignarmos à sorte, e em querermos ser o que somos.” (Erasmo de Roterdã)

A felicidade humana não é oriunda tanto de grandes golpes de boa sorte, que raramente se verificam, quanto de pequeninas vantagens que ocorrem todos os dias.” (Benjamin Franklin)

Portanto, mortal, por que buscas fora o que dentro de ti é que está?” (Boécio)

Que coisa estranha é a felicidade! Ninguém sabe por onde, nem como, nem quando chega, e ela vem por caminhos invisíveis, às vezes quando já a não esperamos.” (H. Ibsen)

 

Telma

Leave a comment »

O Orgulho

1090073_clown

A partir de hoje, sempre que pudermos, colocaremos no blog posts trazendo pensamentos a respeito de um tema qualquer. Será uma coletânea de máximas e frases sábias de variados autores acerca de um mesmo objeto.

Pois bem, hoje começo com máximas sobre o sentimento do orgulho ou da soberba, sob a ótica de diferentes personalidades.

Sutilizamos sobre os motivos de Deus, e criticamos o nosso Criador. Ai, é como se o caldeirão pretendesse saber mais que o seu fabricante! Contudo, o homem continua a perguntar: por quê?” (Heinrich Heine)

Foi a soberba que perdeu os anjos.” (J.F.Von Schiller)

Qualquer desvanecimento é tolo, mas a soberba é intolerável.” (Baltasar Gracián)

Se julgas seres alguma coisa, volve os teus olhos para o que eras antes de nascer, e verás que nada eras, e que és a última miséria.” (Francisco de Quevedo)

Sucede com frequência que os espíritos mais mesquinhos são os mais arrogantes e soberbos, assim como os espíritos mais generosos são os mais modestos e humildes.” (Descartes)

O orgulho é incompatível com o orgulho; é daí que nascem todas as divisões que perturbam o mundo.” (Fénelon)

O orgulho jamais quer dever, assim como o amor próprio jamais quer pagar.” (François, duque de La Rochefoucauld)

O orgulho serve de contrapeso a todas as nossas misérias, porque, ou as oculta, ou, se as revela, se gaba de conhecê-las.” (Blaise Pascal).

O orgulhoso gaba-se, eleva-se e quer impor-se. Mas sabe, por acaso, como terminará o dia, e em que estado o encontrará a noite?” (Teôgnis)

Quanto mais penso tanto mais me convenço de que, em geral, há orgulho no fundo de todos os erros.” (John Ruskin)

A soberba não é grandeza, é inchaço. O que incha parece grande, mas não está são.” (Santo Agostinho)

 

Telma

Comments (1) »