Manhã

 

1375029

A palavra

ia solta, vaga,

ingrávida, no ar,

tão sem alma e sem corpo,

tão sem cor nem beijo,

que a deixei passar

por meu lado, em meu hoje

Mas logo tu

disseste: “Eu, amanhã…”

e tudo se povoou

de carne e de bandeiras.

 

(Pedro Salinas)

 

 

Karina

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: