Ubiquidade

Ubiquidade é o título de um poema de Manuel Bandeira, escrito em 1943 e que faz parte do livro “Lira dos Cinquent’ Anos” da sua conhecidíssima “Antologia Poética”.

Segundo grande parte dos estudiosos de literatura, a poesia em questão trata de Deus e da sua onipresença. Apreciem e tirem suas próprias conclusões.

UBIQUIDADE


Estás em tudo que penso,

Estás em quanto imagino:

Estás no horizonte imenso,

Estás no grão pequenino.


Estás na ovelha que pasce,

Estás no rio que corre:

Estás em tudo o que nasce,

Estás em tudo o que morre.


Em tudo estás, nem repousas,

Ó ser tão mesmo e diverso!

(Eras no início das cousas,

Será no fim do Universo.)


Estás na alma e nos sentidos.

Estás no espírito, estás

Na letra, e, os tempos cumpridos,

No céu, no céu estarás.

Telma

Anúncios

1 Response so far »

  1. 1

    tadeu said,

    adorei, sempre leio sobre poesias, gostaria de receber newsletter. trata-se claramente de um poema dedicado e sobre DEUS, em sua infinita onipressença. lindo mesmo.


Comment RSS · TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: