“O Gato”, por Charles Baudelaire

Mais um poema pertencente ao grande livro “As Flores do Mal”.  Baudelaire, assim como muitos escritores, evoca a enigmática e fascinante figura do gato.

Vejam:

cat

O GATO

Vem cá, meu gato, aqui no meu regaço;

Guarda essas garras devagar,

E nos teus belos olhos de ágata e aço

Deixa-me aos poucos mergulhar.


Quando meus dedos cobrem de carícias

Tua cabeça e dócil torso,

E minha mão se embriaga nas delícias

De afagar-te o elétrico dorso,


Em sonho a vejo. Seu olhar, profundo

Como o teu, amável felino,

Qual dardo dilacera e fere fundo,


E, dos pés a cabeça, um fino

Ar sutil, um perfume que envenena

Envolve-lhe a carne morena.


Karina

Anúncios

4 Respostas so far »

  1. 1

    Edrin said,

    Ótima tradução, Karina. Cheguei ao seu blog após leitura de um trecho de Vargas Llosa em que descreve um encontro de amantes em meio a gatos. Descobri que existe um “perfume de gato”, civeta ou algália, o que pode enriquecer a interpretação do seu penúltimo verso. Não tenho simpatia por gatos, mas adoro as descrições literárias desses bichanos, como nesse poema, no trecho de Vargas Llosa, ou em outro livro cujo autor não lembro e os descreve como “divindades desdenhosas”.

    • 2

      Telma e Karina said,

      Obrigada pela visita, Edrin. Gosto muito dessa tradução do poema, acho que descreve bem o felino e os sentimentos que nutrem os amantes desses animais. Gostaria de saber que trecho é esse de Vargas Llosa que você cita, você lembra a qual obra pertence? A propósito, acho que você como apreciador de literatura iria se surpreender se convivesse com gatos… Um abraço. Karina

      • 3

        Edrin Vicente said,

        Olá Karina,
        O trecho é do livro que estou lendo agora: “Os cadernos de Dom Rigoberto”, de Vargas Llosa. Fica logo nas primeiras páginas. Veja o capítulo “A noite dos gatos”. Ali os gatos funcionam como alegoria ao encontro do casal (não sei bem se ‘alegoria’ é o termo correto). Bem, a julgar pela seleção que faz no blog, estou certo de que vai adorar o livro. Já no outro livro, em que os gatos são descritos como divindades desdenhosas, eles eram os personagens principais. Se eu lembrar te mando. A propósito: de que fuso horário está escrevendo? É artefato, insônia ou hábito que colocou o horário 2:19 am na sua resposta?
        Abraço,
        Edrin

      • 4

        Telma e Karina said,

        Boa noite, Edrin. Bem, estou em São Paulo. Mas como estou de férias, é comum navegar por aqui de madrugada… Quanto ao livro, obrigada pela indicação! Quero ler logo. Se lembrar sobre o outro, me envie o título. Um abraço e volte sempre! Karina


Comment RSS · TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: