Posts tagged poesia para crianças

Lalau e Laurabeatriz

O autor e a ilustradora,  que criam livros juntos há quinze anos, encontraram a fórmula certa de fazer literatura infantil.

Mais um poema da dupla para as crianças:

 

Mar

No mar,

Tem siri e ostra,

Marisco e lagosta,

Bichos bonitos,

bichos esquisitos.

O mar

É lindo e gozado.

A gente entra doce

E sai salgado.

(Bem-te-vi e outras poesias – Companhia das Letrinhas)

Karina

Comments (4) »

Aprendendo com diversão: poesia para crianças

Trazemos no post de hoje alguns poemas de José Paulo Paes destinados ao público infantil.

O autor reúne poemas simples, lúdicos e inteligentes, que mexem com a imaginação dos pequenos. Para os adultos, a leitura dos poemas de José Paulo Paes também é um deleite.

Confiram:


VALSINHA

Rachelle Anne Miller


É tão fácil

dançar

uma valsa,

rapaz.


Pezinho

pra frente,

pezinho

pra trás.


Pra dançar

uma valsa

é preciso

só dois.


O sol

com a lua.

Feijão

com arroz.

CORREÇÃO


Como dizia

aquele bem-te-vi que ficou míope:

“bem te via… bem te via…”

LETRA L


O L é uma letra louca.

Transforma a nota mi em 1000

e faz a uva andar de luva,

cabra descobrir o Brasil.

PESCARIA


Um homem

que se preocupava demais

com coisas sem importância

acabou ficando com a cabeça cheia de minhocas.

Um amigo lhe deu então a idéia

de usar as minhocas

numa pescaria para se distrair das preocupações.

O homem se distraiu tanto

pescando

que sua cabeça ficou leve

como um balão

e foi subindo pelo ar

até sumir nas nuvens.

Onde será que foi parar?

Não sei

nem quero me preocupar com isso.

Vou mais é pescar.

Karina

Comments (4) »

Literatura Infantil

Oferecemos o post de hoje principalmente aos leitores mirins. Trazemos dois poemas infantis, um da consagrada Cecília Meireles e o outro do escritor e poeta paulista José Paulo Paes (1926-1998), que dedicou grande parte de sua carreira a escrever para crianças e  – diga-se – com muita criatividade e sutileza.

Certamente, se apresentadas desde cedo à obra desses poetas, as crianças irão carregar consigo o hábito de gostar de ler.

Confiram:


RARIDADE

macaw

A arara

é uma ave rara

pois o homem não pára

de ir ao mato caçá-la

para a pôr na sala

em cima de um poleiro

onde ela fica o dia inteiro

fazendo escarcéu

porque já não pode

voar pelo céu.


E se o homem não pára

de caçar arara,

hoje uma ave rara,

ou a arara some

ou então muda seu nome

para arrara.

(José Paulo Paes)

A BAILARINA

ballerina

Esta menina

tão pequenina

quer ser bailarina.


Não conhece nem dó nem ré

mas sabe ficar na ponta do pé.


Não conhece nem mi nem fá

mas inclina o corpo para cá e para lá.


Não conhece nem lá nem si,

mas fecha os olhos e sorri.


Roda, roda, roda com os bracinhos no ar

e não fica tonta nem sai do lugar.


Põe no cabelo uma estrela e um véu

e diz que caiu do céu.


Esta menina

tão pequenina

quer ser bailarina.


Mas depois esquece todas as danças,

e também quer dormir como as outras crianças.

Karina

Leave a comment »

Atendendo a pedidos: mais poesia para crianças

As Flores

garden

Deus ao mundo deu a guerra,
A doença, a morte, as dores;
mas, para alegrar a terra,
Basta haver-lhe dado as flores.
Umas, criadas com arte,
Outras, simples e modestas,
Há flores por toda a parte
Nos enterros e nas festas,
Nos jardins, nos cemitérios,
Nos paúes e nos pomares;
Sobre os jazigos funéreos,
Sobre os berços e os altares,
Reina a flor! pois quis a sorte
Que a flor a tudo presida,
E também enfeite a morte,
Assim como enfeita a vida.
Amai as flores, crianças!
Sois irmãs nos esplendores,
Porque há muitas semelhanças
Entre as crianças e as flores…

(Olavo Bilac)

—x—

Sonhos da Menina

moon_river_9

A flor com que a menina sonha
está no sonho?
ou na fronha?

Sonho
risonho:

O vento sozinho
no seu carrinho.

De que tamanho
seria o rebanho?

A vizinha
apanha
a sombrinha
de teia de aranha  . . .

Na lua há um ninho
de passarinho.

A lua com que a menina sonha
é o linho do sonho
ou a lua da fronha?

(Cecília Meireles)

Karina

Leave a comment »

Poesia para criança II

Dentre os posts mais acessados em nosso blog, estão os relativos à literatura infantil. Tal fato muito nos alegra, pois, para nós, o interesse pela leitura deve começar logo na infância. Crianças que leem desde cedo desenvolvem a imaginação, expressam melhor suas ideias e adquirem mais firmemente o hábito de ler por prazer e não por obrigação.

Assim, procuraremos sempre dedicar um espaço para a literatura infantil neste blog.

Hoje, mais Cecília Meireles para crianças. Divirtam-se:

“Leilão de Jardim

1040393_probinsya_province

Quem me compra um jardim
com flores?

borboletas de muitas
cores,

lavadeiras e pas-
sarinhos,

ovos verdes e azuis
nos ninhos?

Quem me compra este ca-
racol?

Quem me compra um raio
de sol?

Um lagarto entre o muro
e a hera,

uma estátua da Pri-
mavera?

Quem me compra este for-
migueiro?

E este sapo, que é jar-
dineiro?

E a cigarra e a sua
canção?

E o grilinho dentro
do chão?

(Este é meu leilão!)”

—//—

“Colar de Carolina

965701_child_in_a_white_dress

Com seu colar de coral,
Carolina
corre por entre as colunas
da colina.

O colar de Carolina
colore o colo de cal,
torna corada a menina.

E o sol, vendo aquela cor
do colar de Carolina,
põe coroas de coral

nas colunas da colina”.

—//—

“O Mosquito Escreve

780470_snack

O mosquito pernilongo
trança as pernas, faz um M,
depois, treme, treme, treme,
faz um O bastante oblongo,
faz um S.

O mosquito sobe e desce.
Com artes que ninguém vê,
faz um Q,
faz um U, e faz um I.

Este mosquito
esquisito
cruza as patas, faz um T.
E aí,
se arredonda e faz outro O,
mais bonito.

Oh!
Já não é analfabeto,
esse inseto,
pois sabe escrever seu nome.

Mas depois vai procurar
alguém que possa picar,
pois escrever cansa,
não é, criança?

E ele está com muita fome”.

 

Karina
 

 

Leave a comment »