O Bicho, de Manuel Bandeira

O poema abaixo retrata o cotidiano degradante do homem que atingiu o ápice da miséria.

Quem nunca se deparou com uma cena como a descrita no texto de Manuel Bandeira? Lamentavelmente, esses fatos acontecem tão rotineiramente que muitos já nem se importam mais…

poorO Bicho


“Vi ontem um bicho
Na imundície do pátio
Catando comida entre os detritos.

Quando achava alguma coisa,
Não examinava nem cheirava:
Engolia com voracidade.

O bicho não era um cão,
Não era um gato,
Não era um rato.

O bicho, meu Deus, era um homem”.

 Manuel Carneiro de Souza Bandeira Filho nasceu em 19 de abril de 1886 em Recife. Em 1903 foi para a cidade de São Paulo a fim de cursar Engenharia na Escola Politécnica. No entanto, em decorrência do acometimento de tuberculose, não pôde concluir o curso. A partir de então, passa por verdadeira peregrinação por diversas cidades e casas de saúde, tendo, inclusive, se mudado por um ano para a Suíça com o intuito de livrar-se da doença. Ao voltar para o Brasil tornou-se inspetor de ensino e depois professor de literatura.

Em 1917 publicou seu primeiro livro – A Cinza das Horas – com características parnasianas e simbolistas. Posteriormente à publicação de seu primeiro livro, o poeta foi se enquadrando no estilo modernista, culminando com a publicação em 1930 da obra Libertinagem, considerada uma das mais importantes da literatura moderna brasileira.

manuel_bandeira

Na obra de Bandeira predominam a liberdade de conteúdo e de forma, o retrato do cotidiano, a sua própria história de vida, o humor,  a indignação com a realidade do homem e a idealização de um mundo mais justo. O autor conseguiu reunir em sua poesia subjetividade e objetividade e o resultado foi perfeito.

Certamente os leitores do nosso blog serão presentados com muitos outros textos do grande Manuel Bandeira. Aguardem.

Karina

About these ads

54 Respostas so far »

  1. 1

    helizabeth disse,

    Manuel. Amei seu texto, O Bicho, e a sua estoria.
    Parabéns!!

  2. 2

    gianna disse,

    muito bom….instrutivo e agradável.
    =)

  3. 3

    Gerlison Meirelles disse,

    parabéns, suas palavras nos passam um profundo interesse……

  4. 5

    joice eli disse,

    ele é um cara muito imprecionante… ;-)

  5. 7

    Daiane disse,

    Noossa achei ótimoooooooooo!!! Procurei em vários lugares para meu trabalho de escola e só achei aqui…
    Muitoo obrigado vcs estão de Parabéns!!!!!!

  6. 8

    Ana Claudia disse,

    adorei o poema e essa parte ”O bicho meu Deus era um homen”

  7. 9

    g disse,

    VEMOS HOJE vários bichos
    Nas imundícies das cidades
    catando comida nos latões de lixo …

  8. 10

    Thainara disse,

    Muito lindo. Pior é que as pessoas nao dao mais valor a isso uns matando, outros roubando, mais nunca parando para ajudar os necessitados

  9. 11

    Celia Facundes disse,

    Lembro que li esse poema quando ainda era adolescente e nunca mais esqueci, até comentei com uns colegas professores que nunca mais havia encontrado o mesmo, além de outros, na literatura utilizada na escola atualmente.

    • 12

      Telma e Karina disse,

      Ese poema é marcante mesmo, Celia. Aliás, Manuel Bandeira sabe como ninguém emocionar e sensibilizar… Volte sempre! Um abraço, Karina

  10. 13

    milena disse,

    eu achei muito interessante.

  11. 14

    taynara disse,

    muito bom adorei esse texto

  12. 15

    Gabriela Arbage disse,

    Achei esse poema super interessante, e muito chocante também….
    Esse poema nos mostra a realidade de muitas pessoas hoje…

  13. 16

    Vejo hoje profissionais, caminhando pela cidade.
    Catando aqui e acolá o lixo da sociedade.
    Puxando o carrinho pesado, junta tudo que tem valor.
    Para não ver enterrado o que pode ser reciclado.
    Não importa que seja dia, ou a noite que o deixa surpreso
    O que mais lhe pesa na vida são a indiferença e o desprezo

    No dia do meio ambiente, tem muito discurso inflamado
    Quem de fato preserva esse meio é o catador desvalorizado
    Se quisermos salvar o planeta, deixemos de demagogia
    Com vontade política e caneta, pactuamos a cidadania
    Defender a fauna e a flora é dever do cidadão
    Muito mais daqueles eleitos para defender a nação

    Não preserva o meio ambiente, com tanta desigualdade
    É preciso política pública que os inclua com dignidade
    É preciso também educar o povo que é mal informado
    Que reduza o consumo e separe o que pode ser reciclado
    É preciso cobrar dos gestores que invistam nesta atividade
    Com políticas publicas que integrem: catadores e a sociedade

    A educação ambiental precisa ser permanente
    E a coleta seletiva tem que ser eficiente
    Com galpões estruturados e o povo orientado
    Com catador organizado o resíduo será reciclado
    Com logística reversa que atenda o interior e a cidade
    Só assim salvaremos o planeta e também a sociedade.

    Elizabeth Regina Lopes
    02 de Junho de 2011
    07 de junho – Dia Nacional do/a Catador/a de Material Reciclável

    • 17

      rogelia disse,

      tu és muito criativa de onde vem tamanhos conhecimentos vou prestar o vestibular este ano tenho dificuldades enormes de escrever

      • 18

        maria eduarda disse,

        olha que lindo eu tb gostei do texto de manoel bandeira olha eu nao sei a onde ele cria tanta coisa incrivel parabens um beijo da sua maior fã maria eduarda santiago

  14. 19

    raquel disse,

    esse é um dos poemas que eu gosto de +++++++

    te amo manuel bandeira !!!!!!!!!!!

  15. 20

    mariana disse,

    estou estudando disso

  16. 21

    Lindo texto. Me identifiquei logo na primeira vez que o li. Faço parte de um grupo de teatro (Trupe Cangaias) e estamos na montagem de um espetáculo que se chama “Entregue às baratas”. No espetáculo fazemos uma analogia ao Homem como barata no qual se mescla perfeitamente com o que Manuel escreve e pensa na obra. Queria somente deixar meu depoimento e dizer que o texto é simplesmente belo. deixo aqui também o site de divulgação do espetáculo.

    http://www.wix.com/somosbaratas/movimento.
    Desde ja agradeço.
    Carlos Shinoda

    • 22

      Telma e Karina disse,

      Obrigada, Carlos. Esse texto do Manuel Bandeira é simples, mas intenso e contundente. Muito interessante o espetáculo que estão produzindo. Boa sorte e volte sempre! Um abraço, Karina

  17. 23

    lira brenda disse,

    esse poema me emocionou eu senti a profundidade eu gosto muito dos poemas de manuel bandeira ….

  18. 24

    Gabriella disse,

    Eu adoreiiii foi uma pesquisa da minha escola, mas tb fiquei pensando nas pessoas que passam por isso :(

  19. 25

    lalazita disse,

    esse foi o melhor poema que já li as pessoas não prestam atenção com o próximo mesmo sendo mais novo ou mais velho então vamos deixar isso mais em público. não maltrate

  20. 26

    Vinicius disse,

    Eu e um grupo de colegas fizemos um trabalho em Psicologia sobre as condições de vida nos lixões do Brasil (foi antes, inclusive, de ter saído aquele documentário sobre o lixão e que concorreu ao Oscar) e nos usamos esse poema do Manuel Bandeira (o triste é que ele é ilustrativo da realidade que ainda viceja em nosso meio social).

    Bom final de semana.
    Abraço

  21. 28

    bruno costa disse,

    Gostei, bem legal esse poema.

  22. 31

    Antonieta disse,

    Gostei muito de rever o texto ” O bicho” pois trabalhei várias vezes c meus alunos e ñ tinha mais em minhas anotações.
    Hoje podemos ver como esta mensagem é tão presente por onde passamos.
    março de 2012-
    Antonieta.

  23. 33

    A literatura mostra a crueza…

  24. 34

    Biia disse,

    Me deixou muito impressionada.

  25. 35

    Yasmin Santos disse,

    - Esse poema, entre todos que já li é o mais realista !
    Só de falar me dar arrepio, como é nobre esse Manuel Bandeira.

  26. 37

    [...] fonte: http://literaturaemcontagotas.wordpress.com/2008/11/25/o-bicho-de-manuel-bandeira/, acesso em 05/10/2012 Share this:TwitterFacebookGostar disso:GosteiSeja o primeiro a gostar disso. [...]

  27. 38

    eu achei muito bonito esse poema apesar de manoel bandeira ser da minha cidade minha professora passou esse poema no meu caderno encontrei tudo que eu procurava beijos!

  28. 39

    bruna da silva disse,

    adorei o poema
    manoel é um grande poeta… :)

  29. 40

    kelly medeiros disse,

    E lindo esse poema de manuel bandeira retrata bem a triste realidade de milhares de pessos.

  30. 41

    rita belo da silva disse,

    eu gostei muito desse poema, maravilhoso bem colocado para nosso cotidiano.

  31. 42

    ana sara disse,

    achei muito legal e eu tambem so achei aqui cuiti

  32. 43

    O bixho disse,

    Aff deixem de ser paralíticos-intelectuais, qualquer um consegue escrever um texto, poema, do nível de “O bicho”.

  33. 45

    lorenzo disse,

    muito triste,perto da minha casa mora um pobre sem comida e casa…D:

  34. 46

    maryá disse,

    legal abriu minha mente para escrever um texto sobre o poema d+++++

  35. 47

    Why users still make use of to read news papers when in this technological world everything is accessible on net?

  36. 48

    higor disse,

    alguem poderia me informar em que data foi escrito esse poema??

  37. 50

    joas oliveira disse,

    e realmente fantástico, o texto relata o que acontece em meio a sociedade.o que dizer de ” um pais de quase todos “.

  38. 51

    M. Flores disse,

    Apesar do texto retratar a realidade do início do século XX, infelizmente continua retratando a realidade do século XXI. Imagine se Manuel Bandeira estivesse vivo, esse pernambucano não iria mudar nada no texto, talvez iria escrever sobre a miséria do dependente químico.

  39. 52

    Maria Luiza Santos Trindade disse,

    muito legal

  40. 53

    Sérgio Henrique disse,

    Impressionante; A objetividade do poema impressiona qualquer um que o leia… Uma bela e simples crítica social.

  41. 54

    Adorei o texto vou ter que interpreta-lo.


Comment RSS · TrackBack URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: